Aumentar(+)   Diminuir(-)
Logotipo Período Livre

EDITORIAL

Um ato de afirmação dos professores

Aproveitar o efeito inercial das tradicionais homenagens, por ocasião do Dia do Professor, para provocar a manifestação dos próprios professores sobre a sua condição profissional. Com este pressuposto surgiu o projeto Semana da Consciência Profissional, desenvolvido pelo Sinpro/RS entre os dias 15 e 20 de outubro.

O intento foi devolver a palavra aos professores para comentar, discutir e propor sobre os principais problemas que marcam a realidade dos docentes no ensino privado.

Projeto ousado e ambicioso, porque é sabido de todos que a sala dos professores há muito deixou de ser nosso espaço de falar sobre os problemas profissionais. Pelo menos num viés de abordagem séria e autônoma, o que não inclui, é claro, as obviedades e as generalizações do senso comum que até as direções estão sempre dispostas a apoiar e estimular.

Grande desafio este de fazer os professores falarem sobre os seus problemas, dentro da escola.

Ato de enfrentamento, de afirmação, de luta.

Atitude difícil, quase impossível em muitos lugares, em face da presença acintosa e propositalmente constrangedora de algumas direções de escolas ou gestores de instituições de Educação Superior

Sim, alguns dirigentes de escolas privadas exercitam sem constrangimento o cerceamento à livre manifestação dos seus professores

Apesar dos constrangimentos objetivos, do medo introjetado e do inusitado da proposta do Sinpro/RS, o saldo da iniciativa certamente é positivo. Muitos professores conseguiram dizer algumas coisas que os afligem e despotencializam a sua vida profissional
e pessoal.

Extenso é o relatório organizado pela direção do Sinpro/RS sobre o que foi dito pelos professores durante a Semana.

Recuperar a capacidade de falar, de dizer, de opinar sobre os seus problemas e soluções, para estes é certamente uma conquista. Uma vitória na luta pela dignidade dos professores.

Não restam dúvidas de que a maior parte dos problemas do ensino privado tem sua raiz na relação trabalhista, ou mais precisamente, na relação contratual em sentido amplo, das instituições com seus professores.

As manifestações dos professores confirmaram amplamente que as questões pautadas são efetivamente os principais problemas da sua relação com as instituições.

Face ao quadro confirmado dos problemas, do exercício das manifestações soberanas que individual e coletivamente marcaram a Semana da Consciência Profissional, restou destacado também que a expectativa maior continua sendo que a solução venha de fora, que alguém externo às instituições, leis ou o Sindicato resolva tudo.

Sem entrar no mérito do que é o Sindicato (diretoria? associados? categoria?), o próximo desafio é a definição da atitude que efetivamente corresponde à afirmação da condição docente experimentada durante a Semana da Consciência Profissional.

Todas as iniciativas do Sinpro/RS se articulam para a promoção e a valorização dos professores, o que passa, no próximo período, pela definição das reivindicações salariais e de condições de trabalho a serem negociadas com o Sindicato patronal do ensino privado gaúcho.

O presente boletim Período Livre, além do balanço da Semana da Consciência Profissional, objetiva convocar os professores a participar da Assembleia Geral regionalizada para este fim.

Direção Colegiada


SEMANA DA CONSCIÊNCIA PROFISSIONAL
Manifestação do colegiado do Sinpro/RS

A direção do Sinpro/RS, proponente e coordenadora das atividades da Semana da Consciência Profissional, realizada nas escolas e instituições de Educação Superior do Rio Grande do Sul, entre os dias 15 e 20 de outubro de 2012, destaca e manifesta:

− a convicção do acerto da iniciativa, que objetivou devolver a palavra aos professores para falarem sobre os seus problemas na atividade educacional;

− o ineditismo da manifestação dos próprios professores, no local de trabalho, em mais de uma centena de instituições, ao longo de uma semana, representou uma nova forma de abordagem dos problemas da condição docente;

− a coragem de todos os professores que puderam enfrentar os constrangimentos e superar o medo, manifestando sua opinião sobre os temas propostos nas instituições atingidas pelo projeto Semana da Consciência Profissional;

− a compreensão da dificuldade de muitos colegas para o exercício da palavra e a manifestação de opinião face à constrangedora presença patronal;

− o repúdio à atitude e à política de algumas direções e gestores do ensino privado gaúcho que, durante a Semana da Consciência Profissional e na relação permanente com os professores, objetivam constranger a livre manifestação da opinião;

− a avaliação de que as manifestações colhidas dos professores confirmam as definições da direção do Sinpro/RS quanto aos principais problemas da categoria;

− a desvalorização salarial, o adoecimento, o trabalho extraclasse, o excesso de alunos por turma e a violência moral e psicológica se constituem efetivamente no conjunto de fatores e circunstâncias que frustram e comprometem a atividade profissional e a qualidade de vida dos professores no ensino privado gaúcho;

− o compromisso com a reedição do projeto nos próximos anos e com outras iniciativas que motivem a manifestação dos professores sobre os seus problemas, no âmbito das instituições de ensino e fora delas;

− a convicção de que a solução e/ou a melhoria das condições profissionais da docência serão fruto de atitudes de resistência, afirmação pessoal e coletiva dos próprios professores, potencializadas através da sua representação sindical, o Sinpro/RS;

− o direito à palavra e à livre manifestação como instrumento de construção de melhorias nas condições de trabalho e de uma sociedade justa e democrática.

A direção do Sinpro/RS, alicerçada no êxito da Semana da Consciência Profissional e nas manifestações dos professores, propõe:

− a participação e a integração mais ampla dos professores no conjunto das iniciativas e atividades do Sinpro/RS;

− que a definição das reivindicações para a negociação coletiva com a representação patronal seja o próximo espaço de participação dos professores na luta pela melhoria da sua condição profissional;

− a continuidade da luta dos professores do ensino privado nas atividades da Campanha Salarial de 2013.

Os próprios professores, a qualidade do ensino e a sociedade só têm a ganhar com a nossa consciência profissional e a nossa luta.

O Sinpro/RS reitera seu compromisso com o desenvolvimento de uma efetiva consciência profissional e de uma atitude pró-ativa no enfrentamento dos fatores adversos que comprometem o trabalho e a vida dos professores.

ASSEMBLEIA GERAL
Definição da pauta de reivindicações 2013

O Sinpro/RS realizará Assembleia Geral de professores (quadro abaixo), entre 19 de novembro a 1º de dezembro, para a definição das reivindicações para a negociação coletiva com o Sinepe/RS em 2013.

Na pauta da Assembleia estará também a definição da Contribuição Assistencial a ser descontada de todos os professores e a eleição dos delegados do Sinpro/RS para o Congresso da Federação dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino Privado do RS (Fetee/Sul), que será realizado nos dias 15 e 16 de dezembro, em Porto Alegre.

A Assembleia Geral realizada de forma regionalizada tem como objetivo garantir o acesso e a participação de mais professores.

Confira abaixo a programação. Agende-se e participe!

Cidade

Data

Horário

Local

Bagé

21/11

17h30min

Auditório da Alternet (Av. Tupy Silveira, 2009).

Santana do Livramento

19/11

18h

Urcamp – Salão de Atos.

Bento Gonçalves

28/11

18h30min

Sinpro/RS – Regional Bento Gonçalves (Cândido Costa, 65/1008).

Erechim

28/11

18h

Sala da Uniodonto (Av. XV de Novembro, 69 –10º andar).

Lajeado

Educação Básica

22/11

17h15min

Sinpro/RS – Regional Lajeado (Rua Júlio de Castilhos, 1001 – sala 602).

Lajeado

Educação Superior

27/11

17h15min

Univates – Prédio 9 – sede da Adof.

Carazinho

28/11

18h15min

Sindicato dos Comerciários (Rua Alexandre da Mota, 540).

Passo Fundo

Educação Superior

23/11

18h

Aprofupf (Rodovia BR 285, km172 – 2º piso).

Passo Fundo

Educação Básica

1º/12

14h

Colégio Conceição – Anfiteatro (Rua Paissandu, 889).

Pelotas

21/11

18h

Ucpel – Campus I – Bloco C – sala 233 (Rua Felix da Cunha, 412).

Porto Alegre

24/11

10h

Sinpro/RS – auditório (Av. João Pessoa, 919).

Rio Grande

22/11

18h30min

Sinpro/RS – Regional Rio Grande (General Bacelar, 378 – sala 804).

Santa Cruz do Sul

20/11

18h

Casa das Cucas Waechter (Carlos Trein Filho, 670).

Cachoeira do Sul

27/11

18h

Rua Júlio de Castilhos, 286 – sala 01.

Santa Maria

Educação Básica

23/11

12h

Restaurante Comercial (Rua Roque Calage, 50).

Santa Maria

Educação Superior                                 

26/11

17h

Sindicato dos Comerciários (Rua Venâncio Aires, 1621).

Santa Rosa

Educação Superior

20/11

18h15min

Arede (Av. América, 785).

Santa Rosa

Educação Básica

27/11

18h15min

Arede (Av. América, 785).

Cruz Alta

20/11

17h30min

Unicruz – Salão Nobre (Rod. Municipal Jacob Della Méa, Km 5.6).

Santo Ângelo

Educação Básica

26/11

18h

Sinpro/RS – Regional Santo Ângelo (Três de Outubro, 106 – sala 02).

Santo Ângelo

Educação Superior

28/11

18h30min

URI – Prédio 04 – Sala dos Professores (Rua Universidade das Missões, 474).

São Leopoldo

Educação Básica

19/11

17h30min

Sintep Vales (Rua Santo Inácio, 130).

São Leopoldo

Educação Superior

20/11

18h30min

Unisinos – Centro 1, sala 1G 125 – sede da Adunisinos.

Novo Hamburgo

Educação Superior

23/11

17h30min

Espaço Cultural Albano Hartz (Calçadão Oswaldo Cruz, 112).

Uruguaiana

29/11

18h30min

Colégio Santana – sala da EaD.

Voltar   Imprimir

Sinpro/RS - Av. João Pessoa, 919 - Farroupilha - CEP 90040-000 - Porto Alegre - RS - Fone (51) 4009 2900 - Fax (51) 4009 2917 - Filiado a CUT, Contee e Fetee/SUL

© Copyright 2006 - 2017, Sinpro/RS - Todos os direitos reservados.