Uergs recebe terreno para a construção de campus na Capital


Comunicação Sinpro/RS
Uergs | Publicado em 16/08/2012


A Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs) deu um passo importante ontem para a melhora dos seus problemas estruturais, com a assinatura do termo de cessão de uso de parte da área do Centro Vida para a construção do seu núcleo central na Capital. Com a nova instalação, ela passará a ter três, das 23 sedes, em terreno próprio: a de Cruz Alta, a de Osório e a de Porto Alegre. O projeto prevê a criação do núcleo na avenida Baltazar de Oliveira Garcia, em um terreno de 10,5 mil metros quadrados, que compreenderá a reitoria, a unidade acadêmica da Capital, o anfiteatro e a biblioteca central.

Com a propriedade do local, a Uergs pode agora receber os R$ 13,5 milhões do governo federal, que foram aprovados por emenda parlamentar, apresentada pelo senador Paulo Paim (PT). “Precisávamos de um terreno para poder inscrever o projeto e receber a verba. A liberação do dinheiro deve acontecer no início do próximo ano e, em 2014, queremos estar transferindo as atividades para o novo local”, afirmou o reitor da universidade, Fernando Guaragna.

De acordo com o reitor, a falta de espaços próprios dificulta muito o trabalho da Uergs, pois os alunos e professores precisam se deslocar para diversos locais onde as atividades estão segmentadas. Guaragna explica que, sem ter a posse das sedes, a instituição também não consegue receber recursos da União, como acontece com as outras universidades do Estado. “Desde o ano passado, estamos fazendo uma intensa mobilização para conseguir a posse dos prédios atuais ou que nos disponibilizem outros espaços. Diversas negociações estão em andamento”, diz o reitor.

O Núcleo Central vai permitir também que o número de alunos da Uergs na Capital passe dos atuais 250 para 700, com a construção de prédios maiores dos que os utilizados hoje. Além disso, o reitor acredita que o novo endereço vai sanar a carência da região no que diz respeito a polos educacionais, possibilitando ainda a reurbanização da área.

A instituição receberá também mais R$ 5 milhões, de um total de R$ 10 milhões solicitados, para investir na aquisição de instrumentos de laboratório, mobiliário e demais equipamentos para atividades de ensino, pesquisa e extensão, para todas as sedes. De acordo com Paim, a Uergs é um patrimônio de todos os gaúchos e está comprometida com o ensino voltado para a realidade regional do Estado. “É um marco educacional e de fomento do desenvolvimento. Todos os anos, apresento emendas ao Orçamento Geral da União com o objeto de alargar as possibilidades dessa instituição”.

Com informações de Jornal do Comércio.