Pesquisa avaliará trabalho extraclasse dos professores

O formulário será enviado à categoria pelos e-mails cadastrados na base de dados do Sinpro/RS e poderá ser respondido uma única vez por participante

Por Comunicação Sinpro/RS
ENSINO PRIVADO | Publicado em 05/08/2022


Relatos indicam aumento de demandas extraclasse por parte das instituições
Foto: Pexels

O Sindicato dos Professores (Sinpro/RS) realizará, a partir do início da segunda quinzena de agosto, pesquisa para aferir o excesso de trabalho dos professores do ensino privado gaúcho. O questionário será enviado aos professores por e-mail e pretende identificar as condições de trabalho e a realidade de cada instituição de ensino.

“É fundamental que os professores participem dessa pesquisa para que possamos demonstrar aos sindicatos patronais e à sociedade em geral o quanto queremos fazer um bom trabalho e o quanto de tempo precisamos para fazê-lo com eficiência”, pondera Cecília Farias, diretora do Sinpro/RS.

De acordo com Cecília, alguns fatores vêm causando acúmulo de trabalho extraclasse. Somadas às rotinas já conhecidas, como a preparação de aulas, produção de conteúdos, elaboração de avaliações, planejamentos diversos, foram agregadas novas atividades. Muitas delas, naturalizadas durante a pandemia, como as tarefas de alimentar os sistemas, disponibilizar conteúdos e resultados de avaliações, seja para interação com estudantes, pais e a própria instituição.

“Muitos relatos pós-pandemia que chegaram ao Sindicato nos alertam para uma situação generalizada nas escolas privadas, em que o trabalho que já era muito, foi triplicado. “E, no que refere à inclusão de estudantes com deficiência, os professores querem de fato incluir os estudantes, mas não encontram as condições de tempo e estrutura necessárias para realizar de forma adequada”, explica.

A pesquisa integra uma preocupação histórica do Sinpro/RS com a questão do trabalho extraclasse, do direito à desconexão, do direito ao descanso e sobre os impactos do excesso de trabalho na saúde física e mental dos docentes.