CUT-RS realiza vigília em defesa da democracia e contra o golpe nesta sexta em Porto Alegre

O objetivo é dar a primeira resposta do movimento sindical e dos movimentos sociais à condução coercitiva

Por Comunicação Sinpro/RS
CUT/RS | Publicado em 04/03/2016


A CUT-RS, em conjunto com várias entidades, realiza nesta sexta-feira, 4 às 17h, uma vigília em defesa da democracia, da Constituição e contra o golpe, na Esquina Democrática (Andradas com Borges de Medeiros), no centro de Porto Alegre. O objetivo é dar a primeira resposta do movimento sindical e dos movimentos sociais à condução coercitiva, nesta manhã, do ex-presidente Lula para depor na Polícia Federal, em São Paulo. “Querem tirar o Lula da disputa eleitoral de 2018 e estão usando o biombo da corrupção para sensibilizar e iludir a sociedade brasileira, para varrer o projeto que trouxe avanços sociais e trazer de volta o velho projeto neoliberal que retira direitos da classe trabalhadora”, afirma o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo. No sábado, 5, às 9h, será realizada uma plenária das entidades e movimentos sociais, na sede da CUT-RS, para definir novas estratégias e mobilizações em defesa do estado democrático de direito e contra o golpe. Em diversos estados haverá mobilizações nesta sexta-feira.

GOLPE – A CUT Nacional convocou as centrais nos estados para denunciar “a tentativa desesperada de golpe à democracia, de criminalizar a figura do ex-presidente Lula e tentar frear o processo de mudanças sociais em curso no Brasil. A violência praticada contra o ex-presidente e sua família, contra o Instituto Lula, a ex-deputada Clara Ant e outros cidadãos ligados ao ex-presidente, reitera a CUT, “é uma agressão ao estado de direito que atinge toda sociedade brasileira. A ação da chamada Força Tarefa da Lava Jato é arbitrária, ilegal e injustificável, além de constituir grave afronta ao Supremo Tribunal Federal”.

MOBILIZAÇÃO – Na próxima terça-feira, 8, às 14h, a CUT-RS realiza uma plenária de mobilização em defesa da democracia, da Constituição e contra o golpe, no auditório do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre (Rua General Câmara, 424). O objetivo é analisar a conjuntura e definir atividades de luta. Após a plenária, acontece a Marcha das Mulheres, marcando a celebração do 8 de Março, Dia Internacional das Mulheres, com concentração a partir das 17h, no Largo Glênio Peres, no centro da capital gaúcha. A Central também convocou uma mobilização para o dia 13, domingo, às 12h, no Parque da Redenção, em defesa dos direitos dos trabalhadores e da democracia.